Paloma Augusto 
Bolseira do Instituto Internacional de Macau / Real Gabinete Português de Leitura 
Autora do livro “As Festas da Casa de Macau do Rio de Janeiro”, co-edição IIM / Real Gabinete Português de Leitura 

 

 

Em dezembro de 2015, na XI Reunión de Antropología del Mercosur, apresentei os resultados da pesquisa que realizei como antropóloga e investigadora bolsista do Real Gabinete Português de Leitura em parceria com o Instituto Internacional de Macau, que resultou também na publicação de As Festas da Casa de Macau do Rio de Janeiro, livro lançado em outubro de 2015 também pelo Real Gabinete e pelo Instituto Internacional de Macau.

 

Na minha apresentação no Uruguai, intitulada Comunidade Macaense no Rio de Janeiro: festas, identidade, pertencimento e memória, destaquei a importância das festas vivenciadas pela comunidade macaense no Rio de Janeiro para a preservação de aspectos da cultura e da identidade macaenses, como a sua culinária, bem como a centralidade que a instituição Família possui para esta comunidade, uma vez que os laços entre as famílias macaenses são reforçados nas festas da Casa de Macau do Rio de Janeiro, em que saboreiam pratos típicos da cozinha macaense, preservando uma memória coletiva sobre Macau entre os membros pertencentes a esta comunidade.

 

Os demais antropólogos presentes na seção da RAM Migrações, Memórias e Identidades, no âmbito do GT Migrações, Disputas e Legitimações, se mostraram bastante interessados pelos resultados da pesquisa por mim realizada no âmbito do Real Gabinete e do Instituto Internacional de Macau e alguns deles receberam exemplares do livro As Festas da Casa de Macau do Rio de Janeiro, para melhor apreciação.

 

Alguns dos antropólogos presentes. Alguns dos antropólogos presentes. Da esquerda
para a direita: Paloma Augusto, Zeila de Brito
Demartini, Nicolás Herrera, Irene Portela e Miriam
dos Santos.

Entre os presentes estavam as antropólogas Miriam dos Santos (UFRRJ- Brasil) e Marta Maffia (Universidad Nacional de La Plata – Argentina), coordenadoras do GT, Zeila de Brito D e m a r t i n i (UMESP/CERU) apresentando pesquisa sobre memórias de portugueses e luso-africanos, Nicolás Herrera (UNLP-Argentina) apresentando pesquisa sobre o uso de festas como objeto de pesquisa no campo de estudos migratórios, Eduardo de Jesus (UCS), apresentando pesquisa sobre a influência dos jesuítas nos processos migratórios e Irene Portela (UFF) apresentando pesquisa sobre trajetórias de migração do nacional português.

 

Presentemente desenvolvo uma nova pesquisa vinculada ao NARUA – Núcleo de Antropologia das Artes, Ritos e Sociabilidades Urbanas da Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro, sob orientação do Prof. Dr. Nilton Santos, e pretendo conhecer em breve outras casas de Macau em outras cidades ao redor do mundo, interessando-me pelas temáticas da identidade e da cultura macaenses e do papel desempenhado pelas relações entre famílias, pelas festas e pela culinária na sociabilidade macaense.

Revistas

2016
2015
rev oriente ocidente 31 net
2014